Radar de tendências: Tie Dye

Ciclo vai, ciclo vem… Mais uma nova febre toma conta dos armários por aí. E adivinhem só? Outra influência dos anos 90! Sim, quando a gente acha que vai entrar nos anos 00 vem mais uma coisinha dessa década maravilhosa e toma a gente de supetão. Não que ela seja originária daí (sua origem é muito antiga e seu auge contemporâneo foi nas décadas de 60 e 70) mas foi a última vez (que me lembro) em que ele esteve em alta.

Eu vou confessar que eu sempre tive pavor dessa trend que ressurgiu agora e já pode ser conferida tanto nas lojas quanto nas ruas: o tie dye. Sim, nunca gostei. Não sei explicar ao certo o porquê. Talvez pela minha própria dificuldade com estampas ou pela associação que fazia dela com o resto da moda que a acompanhava nos anos 90… Mas ela nunca tinha me descido. Até agora.

Pois é, de repente com essa volta do tie dye algo no novo jeito de usar, ou nas cores em alta, me fizeram repensar e considerar usar a estampa. E muitas vezes é isso que a moda faz. Usar algo que antes você não curtia não significa ser uma vítima da moda. E sim entender sua ressignificação no momento atual e daí sim ver se faz ou não sentido para você.

Hoje o tie dye para mim é não só uma lembrança da infância, o que já faz com que ele se torne mais querido, mas também está dentro de tudo o que falamos no post recente de customização de sapatos, do DIY, reaproveitamento e moda sustentável, já que é uma estampa possível de fazer você mesmo em casa com roupas que você já tinha.

O que é o tie dye?

Para explicar melhor, o tie dye é uma técnica de tingimento que consiste basicamente no que seu nome diz: tie (amarrar, torcer) dye (tingir). Ou seja, você amarra (torce ou enrola) o tecido, protegendo algumas partes específicas, e depois tinge, formando diferentes desenhos dependendo da forma que você fizer o processo.

Historicamente o tie dye tem registros no Peru pré-colombiano, na Ásia, onde existe a técnica Shibori, praticada desde o século 8 e na África antiga por séculos, tendo este último sido apontado como a inspiração para o tie dye hippie, a versão mais conhecida por nós.

Na década de 60 e 70, acompanhando a psicodelia do movimento hippie e com a introdução de tintas mais baratas, o tie dye se popularizou e virou a febre que conhecemos.

Como usar?

Apesar da pegada hippie nos anos 60 e 70 e surfista dos anos 90, hoje o tie dye está sendo usado um pouco diferente. Com um estilo um pouco mais sofisticado. Claro, ainda compõe um estilo casual mas não chega a ser tão largado quanto dos anos anteriores.

 

A estética tie dye no guarda-roupa masculino atual foi incorporada ao street style, sendo misturada a peças esportivas e outras tendências como shorts curtos, dad sneakers e pochetes. Apesar dele ainda surgir em diversas cores, diferente de antes tenho observado a predominância de tons pasteis e em mistura de cores que pertencem mais a uma mesma paleta como rosa, lilás e azul claro, fator que influenciou bastante para que eu gostasse. Essas peças são as minhas favoritas.

 

Algumas pessoas tem optado por usar o look total tie dye mas, como sempre, eu recomendo começar com uma peça de destaque com a técnica se você não está acostumado. Com os tons pastéis citados acima o legal é combinar com branco e tons mais claros. Se forem cores mais vivas ou fortes uma mistura com o preto fica legal.

E você? Vai se render à moda do tie dye ou prefere não arriscar? Conta pra gente e aproveita e mostra o seu look usando a hashtag #LookDestilos e marcando nosso perfil @blogdestilos no instagram. Aproveita e confere mais inspirações de looks com a estampa na nossa pasta Tie Dye no nosso Pinterest.

Post Author: Marcio Oliveira

Deixe uma resposta